26 de março de 2020

SORTEIO de 4 livros!

Oi, galerinha. O Estranho Mundo de Thays vai realizar o sorteio de 4 livros. Isso mesmo! QUATRO livros para vocês.

Quando o blog atingir a meta de 400 seguidores será feito o sorteio! Uma pessoa vai levar para casa os seguintes livros:

Confissões de um Suicida - Thays Martins de Paiva
Meu primeiro bebê será sorteado. Confira capa e sinopse:



Círculo do Medo - Contos de Suspense de Terror - Vários Autores; Editora Andross
Nessa antologia contém um conto meu, nunca publicado no blog, chamado A Casa da Senhora Halle.
Os autores são fantásticos e super recomendo a leitura.


Viagens de Papel - Crônicas de Temática livre - Vários Autores; Editora Andross
Essa antologia contém uma crônica minha de título O Fracasso do Tempo

Por fim, sorteando o livro Não se Apega, Não da Isabela Freitas! 


COMO PARTICIPAR

Regras:

  • Seguir publicamente O Estranho Mundo
  • Curtir a página O Estranho Mundo de Thays
  • Comentar nesse post seu Nome e Email e nome de usuário e/ou blog
Quando o blog atingir 450 seguidores irei sortear usando o site Sorteador . É preciso comentar nessa postagem, pois cada comentário será o equivalente para o número sorteado desse site.

Boa sorte a todos e obrigada desde já! Beijo de trevas




Leia Mais ►

10 de julho de 2018

Om

Ele maneja tão bem aquele violão
que eu quase senti meu coração
fitei-o com atenção e carinho
e fiquei feliz por estarmos sozinhos
sua voz ainda ecoa em minha mente
e ainda sinto seu toque fervente
quero repetir a dose daquela noite sim
possua-me, mestre
vamos unir nossas almas nesse ritual sem fim
seu cheiro me embriagaa
seu beijo quase mata
luto contra a morte
pois poder te ver de novo
será muita sorte
e não corte
essa nossa ligação
permita-nos a efêmera felicidade
sorrio, acho que encontrei alguém de verdade
que rimas fracas diante da imensidão
que foi nossa conexão
somos poderosos
podemos nos destruir
mas Shiva e Odin
nos dão motivos sim, para unir
fuma teu cigarro
eu bebo vinho
juntos somos luz e quem sabe
um novo caminho


Leia Mais ►

27 de junho de 2018

Sua

A máquina seguia marcando
traçava um caminho
e no final, sozinho
o símbolo surgiu
marquei na sua alma um afeto
e você marcou em mim um amor incerto
mas transferiu para a pele com tinta
a mensagem da sua boca
jamais lida, jamais dita

***

E você sua
na minha cama
estou na sua maca
nua
e durante o prazer
queria ser sua
geme e se contrai
me beija e sai
em cima estou
seus braços atadados
e você continua com a força que restou
amarrados à paixão
e sua
e meu
é impossível dizer não


Leia Mais ►

10 de maio de 2018

Mutter

Queria eu ser capaz
de encontrar palavras melhores
que pudessem expressar
meu amor sagaz

Ainda com meu título de
escritora
carrego no peito o mesmo
que o seu
profissão mais que bela,
és professora
e em ti me inspiro para
que eu possa melhorar nela

nada do que sou
um dia poderia ser
se não fosse sua determinação
naquela época em me fazer viver

se hoje sonho é graças ao seu esforço
se hoje conquisto é devido ao seu esboço
se hoje vivo é graças à sua luta
e não serei nunca capaz de agradecer
tal labuta

choro ao lembrar que já anseei dormir
hoje quero vencer para te fazer sorrir
nem todas as palavras combinadas
conseguiriam agradecer
tudo o que fez por esse pequeno ser

Perdão pelas falhas rabiscadas
e pela fala desajustada
Saiba que criou um bom ser, apesar de tudo
e que se hoje leio tudo
foi porque me permitiu o estudo
nesse caso, vale muito mais que dinheiro
portanto, obrigada de novo pela luta
sem desdenho

[e eu vivo por ti]

queria poder lhe dar mais que meros poemas
e um dia tais escritos valerão mais
e então serei capaz de acalmar seus ais

[o amor existe
seu nome é MÃE]

você é meu anjo, vida e razão
você é a causa, o motivo
pelo qual bate
meu inexistente coração

09.05.2018


Leia Mais ►

4 de maio de 2018

Outras Poesias

Minha idônea expressão diante de seu descaso com minha tribulação que insiste em abarcar no meu destruído, mas vivo peito... Até parece que não debulho em lágrimas mal caídas durante à noite, durante a tentativa falha de lavar meu envoltório pútrido internamente, e ainda por fora defasado de beleza.

Todavia, o que mais abisma minha pessoa é o que encontro todos os dias ao fitar o espelho que ensejaria eu estar quebrado, dessa forma eu não seria obrigada a encarar tal imagem horrenda desprovida de qualquer encanto.

Mas não mais falemos do que os outros são capazes de ver, mas nunca enxegar... de fato. O que me resta diante de tal existência sem próposito? Até mesmo o "verme que roeu as frias carnes" não ainda do meu cadáver - ah, ele ainda há de fazer isso - , mas ele ainda possui um motivo... alimentar-se dos outros antes vivos, agora jazem sem razão alguma dentro de féretros 'objetos' criados pelos modernos na tentativa de preservar aquilo que morrera muito antes do próprio corpo.

O verme.

Igualar-me-ei a tal criatura, no entanto, perco em tal disputa, visto que ele se mostra mais eficaz em sua tarefa do que eu, nas minhas várias. O helminto possui apenas uma razão em sua curta vida e a cumpre com exatidão.

Já eu... simplório e desgastado ser humano.
Eu, o não de Outras Poesias.
O sim para o Inferno das passagens sinistras.
Eu, e nunca jamais suas escolhas infinitas.

Não possuo nada além do nada. Dentro do vácuo há de encontrar-mos algo a mais. Um átomo capaz de descrever minha discrepância diante do restante da humanidade, porém, engana-se quem crê que é algo bom.

O que difiro do restante é que nada valho.
Até mesmo meu amigo, parasita... possui uma razão que é apoderar-se do outro enquanto Eu, o não de Outras Poesias sigo sem rumo diante de minhas vidas jamais distintas... nunca escolhidas.

Como eu mesma findei a mim.
Um sim para meu eterno e já decidido fim.



Leia Mais ►

28 de abril de 2018

De repente

" Hate me 
Break me
Let me feel as hurt as you

push me, crush me
but promise me
that you'll never let us go "



Você era a luz que quebrava o silêncio da minha escuridão. As cordas do violão... do meu coração. Você era o tom musical que faltava em minha canção. Então... de repente, desvanece. Como a neblina que some sem ver, o fogo que arde sem queimar... a brasa que queima sem chamuscar. Como se nossos sorrisos jamais tivessem existido e todas suas palavras nunca fizessem sentido. Quando menos me dei conta não estava em minha soturna vida. Não haveria. Não queria. De repente... "do riso fez-se choro" e do pranto fez-se dor. Do amor...nada mais eu sabia. Queria. Mas não podia. Você havia ido embora. Abandonando o meu espírito à sorte... mas não havia sorte para o demônio maltrado, usado... destruído e acabado. Aceito meus pecados, os cometi sabendo da punição, no entanto, cria eu na falácia que um anjo estaria comigo. Nunca esteve. Partiu antes mesmo de entrar. E sigo agora solitária. Como antes. Como sempre.  
E você? Sorri e desvanece. E nem ao menos sente.

A dor que me causou.
O desespero em que estou
A pílula na garganta forçou
E no fim
de nada adiantou


Leia Mais ►

16 de abril de 2018

Joy


faço um exorcismo todos os dias
(...)

respiro e encaro meus demônios
eles me sorriem como a morte
e então, vez ou outra me entrego
deixo com eles minha sorte

no dia seguinte sou forçada a tentar novamente
não me permitem o descanso solitário e eterno
pois precisam de meu casco cansado e velho
me pede a clemência, mas não pode ser clemente?

[cada decisão de meu cansado espírito 
cada passo que minhas estafadas pernas
dão
eu sinto que caio
direto no
chão
mas não...]

ainda estou de pé, forçando uma meta
não há objetivo nisso
não há sentido vivo
ainda estou de pé, caminhando em linha reta

" mas essas alegrias violentas têm fins violentos, como fogo e pólvora que num beijo se consomem"

não ouso mais falar de amor
não falarei de paixão e dor
e tão pouco irei dissertar
sobre o bom gosto de quase amar

são coisas que não existem
nosso ego nos engana
e nossa mente nos encanta

erra esse meu medo, eu já devia saber que aquele estado não iria durar
que ele se fosse de minha vida como todos os outros a me abandonar
somente ficam aqueles que foram destinados a ficar

***

Prosa.

Sinto que não ficam por escolha, de alguma forma são forçados a não partir. E então, ficam. Supostamente deveria ser algo bom, mas não é, visto que junto dessa decisão eles me forçam a sorrir sorrisos que não são meus. É um fracasso intríseco a mim mesm0.  Diário. Ainda é meio-dia e encontro-me sozinho em meu quarto chorando lágrimas que não deveriam ser choradas. A dependência que achei ter livrado meu desgastado corpo... encarei-a ainda pouco. Quanto desgosto você pode causar e ainda ter gosto? 

São metas postas para enganar os ingleses. Esses que nunca irei ver de perto. Como todos os meus sonhos, um dia na inocente infância, sonhados.

" Quando minha hora chegar, mantenha-me em sua memória... razões para ser lembrado... Guarde todo o resto. "

Não sei como proceder com esse texto... Assim como eu e como todos os outros... ele nada vale, fiquem então com tudo isso. Esse tudo que é nada.


Leia Mais ►

SORTEIO de 4 livros!

Oi, galerinha. O Estranho Mundo de Thays vai realizar o sorteio de 4 livros. Isso mesmo! QUATRO livros para vocês. Quando o blog atingir a...