22 de agosto de 2012

Sono.

Os olhos estão cansados. A mente trabalha incessantemente contudo, sem resultados. O corpo pede um leito com lençóis brancos e um travesseiro fofo. Os olhos cansados pedem uma força para manterem-se abertos. E agora ? Ela perguntara a si mesma. Não sei horas, respondera. Vou dormir. Quem sabe, não mais acordarei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Pianista (e a ) Sereia - Parte I

O relógio batia quase meia-noite e as ruas de Wuppertal, na Alemanha já estavam iluminadas pelos postes de luz. Os habitantes em suas casas...