Refúgio.

São nestes versos que me refugio. Sabe-se lá do que. Das angústias que me perseguem, dessa força que me traz ao chão e que me prende não me deixando respirar. É no ato de escrever que minha dor cessa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lupus- Parte I

O último poema de amor

Fade Away