Plenilúnio





      Eu estava olhando a lua cheia quando subitamente ela desapareceu. Como em um passe de mágica. E logo, eu pensei: Como ? Como isso aconteceu ? De repente, o céu por completo estava negro, sem estrelas, sem lua. Eu estava na sacada, e um frio descomunal tomou conta do ambiente, do mundo por completo. E finalmente compreendi, que a lua cheia não havia desaparecido, o céu é que havia entenebrecido. Foi então que me dei conta, de que o frio era a vida morrendo. A vida de todos ao meu redor, assim como a minha vida, minha alma havia se perdido nas trevas há tanto tempo. E sem ação, como sempre, eu contemplei o céu de trevas. E foi bom, pois pude depreender a razão de todo o resto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lupus- Parte I

O último poema de amor

Fade Away