Reflexão ou qualquer outra coisa.

    É sabido que somos seres faltantes. Ou seja, sempre buscaremos algo que nos faça feliz. E esse '' algo'' é sempre efêmero. Isso quer dizer que em determinada época que encontramos o algo, logo em seguida ele não nos satisfaz mais, e passamos a buscar outros 'algos'.
    Ainda assim, da mesma forma que somos seres faltantes somos seres angustiados, ou como diria o filósofo Sartre, nós somos a angústia. Acompanhada ou inerente à angústia está a tristeza. Quando de fato não conseguimos o algo que tanto batalhamos a tristeza torna-se maior. Na verdade, nem precisamos estar buscando alguma coisa, a melancolia está intrínseca ao que podemos chamar de natureza humana. Isso devido ao fato de os seres humanos vivenciarem a realidade tal qual ela é. Em suma, nossa vida é  agonia. É um pensamento ruim, mas real.

   O trabalho como forma de dignidade ou construção da vida do homem é tão antigo quanto a existência do mesmo.  O mundo hoje é capitalista, logo o trabalho está sob um pedestal. Se tens um trabalho és um ser digno, caso contrário és um ser deplorável. A questão no entanto, é que o trabalho paga as dividas e não as tristezas. Mas, dentro dessa mesma questão encontramos outra: Como pode um ser angustiado e tristemente   miserável trabalhar ? Vemos claramente hoje o que acontece. Depressão. O mundo está doente, as pessoas estão. Logo, há divergências quanto ao esforço físico para conseguir dinheiro. Para que você quer esse dinheiro ? Para encontrar o seu ''algo'' ? Para distrair ? Para fugir ? Enfim, qual o seu buscar ? O trabalho vem como solução de todas essas perguntas. Da mesma forma que responde à afirmação de tristezas não pagam dividas. Mas, as alegrias também não. Portanto, não importa o seu trabalho, por que trabalha, você está fadado a tristeza como todos. A tristeza de nenhuma das pessoas salvou-as de uma ''divida''. A não ser um escritor que escreve um poema ou texto sobre sua tristeza e esses vendem muito e assim ele paga as dividas. Mas, normalmente as pessoas se reergueram do momento mórbido e trabalhou. Logo depois voltou-se para a melancolia é claro. Ou seja, os seres humanos são condenados, cabe contudo, a cada um decidir como irá cumprir uma certa sentença. Nenhuma é reconfortante, mas podemos decidir quando sucumbir de certa forma às dividas geradas pelo sistema consumista e capitalista.



( Este texto foi um pedido de redação da aula de filosofia em cima do tema ''Tristezas não pagam dívidas, o trabalho paga'', eu sei que ficou bem filosófico ou não sei se fugiu do tema, mas foi o que escrevi.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!