Palavras II

     



      E as palavras e frases ecoavam em sua mente de forma incessante. Era difícil desviar-se delas, era torturante, mas insistiam em ficar na sua mente.  Era um , eram dois, eram três tempos e nada de pensar em outra coisa. Parecia que gostava da dor, mas não, não gostava. A odiava com todas as forças, pois a feria em um lugar que a dor gosta de morar. Lá no fundo do peito, estava ferindo-a, estava machucando-a e estava matando-a. Por mais que se esforçasse não conseguia vencer, não conseguia fazer cessar toda a agonia que era...Pensar.
      E as palavras e frases ecoavam em sua mente de forma incessante, de forma agonizante. Era difícil desviar-se delas, era torturante , mas insistiam em fazê-la sofrer. E não via saída para aquele momento, para aquele acontecimento assim como não via saída para todos os outros. Todos os tempos só fez doer, só fez sofrer e odiava-se por não ser capaz de curar e odiava-se por não ser capaz de ... Fazer sorrir.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lupus- Parte I

O último poema de amor

Fade Away