Presos

Não sei bem porque fiz esse poema, tão pouco sei o que significa...Ao menos ao certo.





Jogaram contra nós, decisões
Sufocaram-nos diante do proscênio
Disseram para seguir os ''corações
Mas destruíram o nosso milênio

Jogaram contra nós, escolhas
Sufocaram-nos diante do escopo
Rabiscaram e mancharam as folhas
As nossas folhas, fizeram-nas esgoto

Perguntaram-nos o que desejamos
Responderam antes, gritaram ao céus
Jogaram-nos, presos agora estamos
Ficamos novamente, no banco dos réus

Esqueceram que temos dúvidas
E que se de fato perguntamos
Não queremos recebe-las em fúrias
Não sabemos e de longe as ditamos

O medo faz-se presente na respiração
Presos estamos, na criação do furor
Não caminhamos, não temos direção
Juntos sucumbimos, ao preço da dor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fade Away

"The Drug in me is you"

O que