Rosas





Havia uma rosa vermelha
Um presente da natureza
Tão pura quanto a seiva

De fragrância boa e inebriante
Visão bela e estonteante
Fez seu coração ser palpitante

A chuva morria diante de sua beleza
A rosa era divina, era vermelha
Que causava inveja até na abelha

As rosas amarradas em um buquê
Perguntavam-se somos feitas para quê
E o vento respondeu, de amor é o seu ser

Os poucos, raros e belos versos de amor
Que criou o magnífico  poeta da dor
Foi destinado àquele que livra do amargor





Comentários

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Postagens mais visitadas deste blog

Fade Away

"The Drug in me is you"

O que