9 de maio de 2013

Instante


As incertezas são levianas
Ergue as dores
Ao subir as persianas

Jorra palavras diante de si
A odeia sim
Não crê, deseja o fim

Desconhece-a, não tenta
Abandonou e fugiu
Um dia já foi sua crença

Chorará sozinho talvez
Perdoarei ? Não sei
Foi a centésima vez

Não procurou, não quis
Por quê ? Não sei
Desistir, é o que farei

Não compreendem mesmo
Na solitária ficou
Não sei o que sou

Um Arcanjo o visitará
Arcanjo da morte
E me levará, se eu tiver sorte

Olhos que choram sangue
Estou aqui, sou seu último instante
   8.5.13

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Pianista (e a ) Sereia - Parte I

O relógio batia quase meia-noite e as ruas de Wuppertal, na Alemanha já estavam iluminadas pelos postes de luz. Os habitantes em suas casas...