Desaniversário*


Comemoração! Balões! Vivas e Alegrias! Mas quem disse que há jovialidades ? 
O Bolo é gorduroso, os livros não bastam, a pele está se deteriorando e os órgãos estão cansados. Lembram-se apenas em um dia, porém, isso não importa. O que queria é o Nunca. 
Queria  a sua Terra.
Os Presentes não param (n)o tempo, tão pouco o retardam, os ensejos estão tão distantes, uma vez que também não satisfazem. Não são tantos para saciar sua sede de Eterna.

Um Dia Como Outro Qualquer!

Não fosse certa contagem. Quantos números ainda restam ? O Imortal, somente o papel de ferro que ei de encontrar. Tinta permanente! Mas sai com o tempo. Tudo sai, tudo morre, tudo pode ser lavado pela água da vida, pelo cristal do tempo. O cravar com cera quente, no entanto...quem sabe, poderia ser a solução e nada mais, nada mais.

Um Dia Como Outro Qualquer!

Mas não é, tão assustador é, porém, que chega a sentir o coração acelerar no momento, impetuoso instante, que o relógio Se marca em sua metade de Doze.
Os olhos abrem-se, mas não têm para onde olhar, não querem se encarar. Negam-se a ver o rosto que morre, o corpo que não levanta. 

Um Dia Como Outro Qualquer!

Medo e desespero, quantos números ainda restam ? E quantos (des)aniversários valerão à pena  ?  Alguém que queria sorrir. Espere, no entanto, eternamente por ele... Ou não.

Um Dia Como Outro Qualquer!

* Esse neologismo foi por Lewis Carroll em seu romance Alice no País das Maravilhas. O Desaniversário é algo comemorado em qualquer dia do ano que não seja o dia do seu aniversário. Obviamente não fiz o uso correto, mas eu não vejo porque comemorar aniversários, o desaniversário é bem melhor e faz muito mais sentido quando o comemorar não tem um marco de idade ou passagem do tempo como tema, então quis adotar como título, tema e inspiração para o texto.

Comentários

  1. Bastante deprimente esse texto
    mas se vivermos pensando nas coisas ruins da vida, vamos está perdendo tempo
    Temos que procurar aproveitar tudo

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Postagens mais visitadas deste blog

Lupus- Parte I

O último poema de amor

Fade Away