Fênix

Ao que parece, pequeno ser, voaste perto demais do sol e agora estás queimado.
     Estranho. Curioso.
"Mas essas alegrias violentas têm fins violentos (...) como fogo e pólvora que em um beijo se consomem."

     De fato. Pequeno ser... Já paraste para pensar onde queres chegar ? Digo, não pareces a tu complicado demais esse caminho das pedras ? Quero dizer, olhe quantas pedras! Não bastasse os trilhos escabrosos ainda há seres malignos a cercarem a estrada. Vez por outra os seres jogam-te pedras ainda maiores. Quão doloroso e difícil é o trilho pelo qual escolhestes andar. Não compreendo, confesso.
    No entanto, com um pouco de esforço, pequeno ser, até que algo faz sentido em minha cabeça idosa. Reflitas comigo, sim ? As escadas não são tão rápidas quanto os elevadores, mas de fato elas deixam tuas pernas mais fortes. Compreendes ? Pois então. Não sei o que passa nesta tua cabecinha, mas não irei julgar-te.
   Agora, pequeno ser, limpas tuas penas sujas de fuligem, limpas sim. E ergue-te das cinzas, como a fênix! Tu sabes que no fundo és tu quem estais certo e não eles. Portanto, prepare-te para um novo voo e não pare até que tenhas chegado à Lua. "Sonhe alto e mire mais alto ainda, pois mesmo que venhas a cair cairás entre as estrelas." E como sei que já estais acostumado às quedas, pequeno ser, seis que esse tombo não te feres. Deixa-te forte, sim.
   Prestais atenção, pequeno ser, prestais muita atenção. O mundo é feito de sombras, muitas sombras mesmo, porém, aprende que necessitas delas para reconheceres a luz. Uma vez que tenhas vivido sob um mundo de trevas de certo saberá quando entrares em um mundo de luz. O que temo, porém, pequeno ser, neste momento o qual te digo estas palavras é ... é complicado dizer, e triste também, e o pior... temo ser verdade. O que temo, minha pombinha, é que há muito tu tenhas virado corvo e agora pertences à escuridão.

- Mas isso não é de todo ruim, velho. - disse uma voz, esganiçada e baixa, ao fundo do quarto onde se encontravam o idoso e a criança.
-Oras, como não ? É sim de todo ruim, pois é. A escuridão é um caminho sem volta e muitas vezes perigoso. - retorquiu o velho concordando consigo mesmo.
-Sim, de certo é. No entanto, uma vez que saibas andar sem nada ver de certo saberás qualquer caminho, seja ele fácil ou difícil. E uma vez que não há volta não podes te permitir arrependimento algum de suas ações ao longo do trajeto.
-Tens razão. Quem és tu, estranho ?
- Eu ? Eu não sou nada nem ninguém. Sou o que fui, mas hoje não sou. Sou o que serei, mas hoje não posso mais ver. Sou o que sou sem nem ao menos ser. - e desapareceu tão rápido quanto havia surgido no quarto.
- Vovô, acho que errei em tudo. - disse a pequena abaixando a cabeça.
-Não erraste, pequeno ser. As pessoas ao teu redor querem que penses assim, mas não acredites nelas. Em nenhuma delas. - disse o idoso antes de acariciar a cabeça da criança que pousava-a em seu colo.
-Oras, mas então em quem devo acreditar ? - disse, limpando as lágrimas e virando-se para encarar o avô.
- Apenas em ti mesmo, pequeno ser. Apenas em ti mesmo.



PS: Creio ser o primeiro texto de caráter 'não trágico' que fiz em toda minha vida, pelo contrário, tem caráter motivacional rs

7 comentários:

  1. Seu texto têm mensagens bonitas e é bem escrito, mas não entendi a voz esganiçada. A conversa entre ela e o velho não parece fazer muito sentido. Afinal, por que a escuridão seria um caminho sem volta, se antes o velho disse que viver sob as trevas faz a pessoa aprender a reconhecer a luz? E se a escuridão em si já é um caminho, então andar na escuridão não poderia ensinar a andar em todos os outros caminhos, apenas na escuridão, não concorda?

    Mas eu gostei do texto, principalmente de como é esperançoso :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gulhereme. Deixe-me explicar. A conversa entre o velho e a voz faz sentido se você olhar para o lado de que a todo momento o velho está tentando ajudar o jovem. A princípio ele condena a escuridão, mas depois que percebe que o jovem já vive nela, é um corvo condenado ele ameniza toda e qualquer situação e tenta mostrar ao jovem que ele pode sim ser feliz mesmo em um mundo de trevas, entende ? Mesmo que essa informação venha apareça depois somente. O velho é o único que entende a aflição do jovem então não julga nem nada. E andar na escuridão é sim um dos caminhos, porém, não o único, correto. Acontece que a escuridão é o caminho mais difícil, tenebroso, todos temem e ninguém quer de fato andar nele, mas uma vez que você entre nesse mundo de trevas você não sai,e não quer sair, pois já provou dele,e sabe que apesar de complicado você conseguirá seguir, entende ?
      Expliquei certo ? Às vezes o que escrevo não faz muito sentido mesmo, mas não teve discordância, apenas pontos de vista diferentes.
      Obrigada por ler e por dar sua opinião '-'

      Excluir
    2. Hmmm acho que entendi. A menina segue no caminho da escuridão por que é o caminho certo para ela, seria isso?

      Excluir
    3. Oi, Guilherme, é exatamente isso. Ela só é trevas e só pode andar na escuridão.

      Excluir
    4. Então entendi mesmo. Brigado por responder, Thays :)

      Excluir
  2. Só poderia ser vc mesmo, adorei......Profundo e muita reflexão( Mamasita)

    ResponderExcluir

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!