Estações

" Meu coração é um almirante louco
que abandonou a profissão do mar
e que a vai relembrando pouco a pouco
em casa a passear, a passear ... "
- Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa


Nesses seus olhos marejados de amor
eu me perco e desliso em meio à dor
Por que martiriza a minha pessoa?
e em meu ouvido um adeus ecoa

Como pode o ócio acordar-me assim?
ele antes que embalava-me para dormir
não compreendo de onde provém a agitação
sei apenas que não posso permitir a negação

Ao marcar-me com a pena do sentimento
deixou mais que uma cicatriz
tirou-me de minha casca sem consentimento
mas confesso, que era o que sempre quis

Como a flor que desabrocha na primavera
eu sou a semente que um dia ela também era
e com suas lágrimas você me rega e me faz crescer
e ao final da estação eu sei que bela posso ser

Mas então chega o frio inverno
e eu morro com a escuridão
sem o seu calor, o forte sol é em vão

E ainda há uma sombra a me perseguir
sem ter para onde correr, estou presa a você
mas você foge e me deixa aqui, sem ter para onde ir

E transformo-me em uma fria pedra
com ossos de gelo e um coração de vidro
versos antigos novamente fazem sentido
E todos sabem que uma pedra não se rega

Mas ainda guardo a esperança de que ela;
a pedra que me acolhe permita uma flor a nascer
e que ela mesmo solitária consiga enfim viver
em meios aos obstáculos de deixar de ser semente
ela vai por fim me fazer contente.



    Fazia tempo que eu não fazia um poema assim, em minutos ... mas gostei.



Marcas

São como impressões digitais. Os livros. Quero dizer, são como aquelas almofadinhas de tinta preta onde colocamos nosso dedo antes de imprimi-lo em algum papel. Os livros são as almofadinhas, pois sempre que os leio deixo um pouco de mim dentro deles e retiro deles um pouco, marcando-me.

E mais que impressões digitais são como tatuagens, pois é irremovível o que sugo deles para dentro do meu corpo por completo, não apenas para minha mente. E eles são tão poderosos que até seu cheiro fica impregnado . São como fotografias que exalam lembranças, basta sentir seu odor e memórias me veem à cabeça. Sei exatamente onde estava quando os li pela primeira vez, com quem estava, o que fazia antes de me entregar a eles, antes de me permitir viajar através de seu mundo.

Tocá-los transmite o mesmo sentimento que uma mãe sente ao segurar o filho pela primeira vez. Fica sorrindo bobamente para a pequena criatura em seus braços, e o mesmo se sucede com meus vários filhos. Estou sempre adotando novas crianças e cuidando para que quando, no futuro, eu as tocar novamente elas retribuam o cuidado por me permitir viajar novamente. Retribuem por me permitir sentir seu cheiro único, sua espessura diferenciada e mais importante, me permitem ler suas maravilhosas palavras.

Os livros são assim. Objetos sem vida, porém, tão viventes quanto nós. A meu ver, são tão importantes quanto nosso oxigênio, uma vez que os livros é que muitas vezes me dão vida.

Meus pequenos objetos imprimíveis. Minhas agulhas que marcam com tinta.



Horas Sombrias - Antologia - Livros Chegaram !

Hey, hey, hey, meus caros leitores! Pensem numa pessoa que está hiper ultra mega power feliz, multiplica por mil e terão uma ideia da felicidade a qual se encontra minha pessoa.

Os livros da Antologia Horas Sombrias onde se encontram meu conto O Pianista chegaram hoje ! Sim, sim. Eu ainda estou pirando. Quando desembrulhei a caixa e os vi esperando para serem retirados eu estava morrendo de alegria!!!

Quando recebi o e-mail que falava que meu conto foi escolhido para ser publicado na antologia eu gritei e pulei tanto que minha prima achou que tinha um bicho doido no meu quarto. É, foi bem assim. Algum tempo depois, conversa foi e tal, e por fim meu texto depois de revisado e editado estava pronto para sair junto com os outros. Infelizmente não pude ir ao evento Livros em Pauta o qual o Horas Sombrias e outras antologias da Andross foram lançadas, mas a alegria não foi diferente. Fiquei imaginando os outros autores lá, tão felizes quanto eu aqui.

Pois bem, hoje dia primeiro de setembro eu pude sentir, cheirar, tocar e abraçar os livros e cá estou contando para vocês a realização de um SONHO. Minha primeira publicação; e para quem sonha em ser escritor reconhecido isso significa muito, afinal de contas, todos começam de um lugar. Quem me conhece há um certo tempo sabe que isso não é hobbie nem fase, quem me conhece sabe que é isso que quero pra minha vida: escrever, escrever e escrever.

Então, antes de finalizar gostaria de agradecer mais uma vez a Editora Andross por me proporcionar essa ''pequena'' primeira alegria , aos organizadores de tudo. Agradecer a minha família por me apoiar e me ouvir, aos meus amigos por acreditarem em mim e ao meu namorado mais que maravilhoso por me apoiar e e acreditar em mim sempre, desde o começo !

Ah, gente, é isso. Não tem muito o que falar até porque eu não consigo descrever como é ótima essa sensação, sabe. Só que sente a mesma que pode dizer, e só que já realizou algo que há muito tem sonhado sabe como é.

Por fim, quem quiser adquirir um exemplar pode entrar em contato pelo e-mail : thaysmp14@hotmail.com e no assunto digitar Horas Sombrias. O livro está saindo a preço de custo de 25,00 , se for de Belo Horizonte posso entregar pessoalmente, mas pessoas de fora tem que ser por correio então acrescenta-se um adicional de 5,00 !