Inconveniente

A dor é inevitável
o que bate aqui dentro
é algo descartável

Desconheço outros sentimentos possíveis
só o que sinto no momento é verdadeiro
Por que tão difícil é esse momento?

Mas quando olho em teus olhos a dor
antes insuportável agora é maleável
não sei ao certo como funciona
sei que é por ti que esse órgão se impulsiona

Nada seria capaz de me matar agora
pois junto de mim eu tenho a aurora
e você faz parte dela, dessa bela imagem

Cada parte de meu corpo te pertence,
em especial o órgão pulsante
aqui dentro ele ganha vida
quando ando ao seu lado, galopante

Um espasmo causa-me dor
pois penso que um dia poderias ir
e abandonar-me aqui

No entanto, penso em teu belo sorriso
e em como gosto de olhar para ti
Penso no  beijo que me foi dado
e em como disse ser feliz ao meu lado

Retratar a minha pessoa diante do pecado
a sina que carregarei não será o suficiente
mas peço um pouco de amor, e de cuidado
sei que posso vencer o passado, entrementes

X

A substância maléfica que corrói meu ser
é capaz de destruir o mais forte muro
Ainda estou aqui, respirando, eu sei
e como Trevas, eu pertenço ao escuro

Nas asas de um anjo eu desejei pousar
mesmo sendo eu um demônio a gritar
E por breves momentos felizes cantei
e junto do belo Anjo no Céu entrei

Mas ao descobrirem minha verdadeira natureza
corroída e destruída por dentro, e por fora sem beleza
me expulsaram do Paraíso, do coração do anjo eu saí
e solitária no deserto de fogo eu caí

Minhas asas negras que mostravam a corrupção
perderam as penas aos poucos, longe da escuridão
Uma vez que conheci a luz, eu desejei nela viver
Mas o Anjo não perdoa alguns pecados, já devia saber

Portanto, e logo, a adaga forjada na luz da escuridão
na música daquele silêncio entre a minha e sua respiração
Pincelada com a tinta escarlate; meu fluído sem amor
Essa bela adaga será causa de um ato cheio de dor

No órgão mais precioso ela não irá penetrar, não se preocupe
há outros meios de matar um demônio, veja bem e escute

Deixe que as gotas caiam no chão
alguém irá limpar
seu corpo logo apodrecerá
não se importe em ser devorado
o que te leva é o vento
pois nem aos vermes serve como prato






Um comentário:

  1. Muito lindo, profundo,reflexivo, mas tbém muito funesto kkkkkkk(Mamasita)

    ResponderExcluir

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!