Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

O Coveiro - Parte III - O Final

Imagem
Você pode ler as partes I e II clicando AQUI e AQUI


- Olá, Destiny. - Oi, Lucius. Como passou a semana ? - Bem pra quem teve que cavar dez covas em menos de uma semana. - Eu fiquei sabendo mesmo. - E você? - Bem pra quem teve que trabalhar todos os dias além do horário para pagar o aluguel atrasado. - Isso eu não fiquei sabendo. - disse o rapaz, sorrindo. Pela primeira vez em anos Destiny foi ao cemitério para uma razão diferente. Ela havia ido simplesmente pelo prazer da companhia de seu mais novo amigo, Lucius, o coveiro. Insistia em negar que jamais se esqueceria de seu amor, porém, há semanas que ela não mais se sentava ao lado de sua lápide até aquele dia. - Destiny, se importa se eu fizer uma pergunta... é bom... pessoal? - Não, pode dizer. - É que tem um tempo que você vem aqui e nós nos sentamos aqui e não lá. - disse ele apontando para o banco que ficava à cerca de cinquenta passos da lápide de Lucius, o ex de Destiny. Ao lado deles uma bela estátua no estilo barroco de um anjo louvando…

Lupus - Parte II

Imagem
Você pode ler a parte I AQUI 

— Co-mo... Como você... Digo, por que não está assustada ou mesmo me colocando pra fora da sua casa? — gaguejou Henry. — Eu deveria estar assustada? — continuou Nina, acariciando de leve o cabelo molhado de suor dele. — Mas é claro! — Por que você é um lobisomem? — Óbvio! Você já sabia? — Descobri há poucos minutos. Quando você entrou no banheiro e se trancou eu fiquei com medo que tivesse alergia ou algo do tipo. A cães, sabe, e não me falou nada, pois enchi tanto você sobre o Bible que pensei você ter ficado sem graça em me dizer. Mas aí eu ouvi. Seus gritos. Digo, uivos. Logo, eu deduzi. — Ok, ok. — disse ele, se ajeitando em uma posição melhor entre o vaso sanitário e a pia. O banheiro era pequeno. — Mas é que não faz sentido. A maioria das pessoas normais que descobrem sobre nós morre medo, foge, grita, nos expulsa... Nos caça até a morte. — Aí é que está. Eu não sou uma pessoa normal. — Se você me dizer que é uma vampira eu vou concluir que estou…