Cólera

O miocárdio bate mais forte, pois a cólera percorre o casco que cobre a vida morta desse ser. Esse horror que o faz caminhar todos os dias não é o bastante para faze-lo cair no sono à noite. Cansado ele está, porém, não vê saída desse mundo.

Ele não compreende como conseguiu chegar onde está sendo rodeado de tanto ódio. Ele exala a morte, pois seu corpo tomou banho da cólera sangrenta que o faz sangrar. Seu foco está distorcido, seu âmago está manchado.

Ônix.


A janela se abre e o sol penetra o quarto, mas seu calor é insuficiente para aquecer o corpo frio. Seus dedos tremem e sua mão cambaleia quando busca o livro na penteadeira. As páginas estão amarelas e o cheiro de velharia o faz espirrar. O livro cai. Ele não faz força para pegar. No chão está o objeto estimado, mas também o seu espírito. 

Ônix.

Antes houvesse uma pedra mágica. Uma fênix para chorar em sua vida e curar os seus males. Antes houvesse um sorriso em seu rosto marcado pelas lágrimas antigas. E presentes. Antes houvesse uma força capaz de erguer sua alma negra. 

O brilho do Inferno reluz dentro dele, mas a Treva faz parte de seu coração, portanto, o fogo não é palio para tamanha escuridão.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!