Propósito

Um pedaço de papel amassado
eu era o caco de vidro quebrado
nem cristal
nem porcelana
eu era a maldita grama

A caneta sem tinta e o lápis sem grafite
eu sou aquele que não resiste
de longe algo completo
de lado
algo quebrado

Como a poção de amor que não deu certo
eu sou o verme rastejante no deserto
Em busca de água, em busca de vida
eu sou o livro com páginas jamais lidas 
[O lençol manchado pelas lágrimas do fracasso]

Eu sou o rascunho que fazem
o papel velho rabiscado
eu sou a dor dos cães que latem 
o sonho esquecido e apagado 

não há mais aquele brilho
aquele valor
tudo o que há 
é somente dor

eu não sou nem mesmo o prato
sou o resto do que restou
do que um dia alguém usou




serviu o seu propósito, verme
pode voltar para o buraco!




2 comentários:

  1. É triste falar que eu adorei algo tão doloroso, mas é, eu adorei. Como sempre muito bem escrito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha não se preocupe, muito frequentemente eu me apaixono por textos de dor também. Mas fico muito feliz meeesmo que tenha gostado mesmo assim e que gostou da escrita!
      Obrigada '--'

      Excluir

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!