As lágrimas da fênix

I am dead like the rise of the phoenix
but I am also alive like the bird that
can't fly
I have everything
and nothing
I am the forever losing
like the eclipse of the sun
I have no light
but I can bright

***

As lágrimas caíam e queimavam como lava. Cada gota rasgava uma parte do rosto, e levava uma parte da pele com ela. Os olhos vermelhos e esbugalhados procuravam algo belo para olhar,  mas nada viam, nada enxergavam. O espelho era cruel demais, e fazia os olhos verem o que a alma não lavada tentava esconder.

A eterna fênix que renascia todos os dias morreu para sempre dessa vez, pois sentiu que suas cinzas não mais valiam a pena ser reerguidas. Cansou-se de nascer novamente todos os dias. Cansou de morrer toda noite.

“Abraçou a morte como uma amiga.”


É difícil ser fênix. E mais difícil ainda é renascer das cinzas que não mais lhe pertencem, pois a vida que deixou não fazia mais parte de seu ser. As asas do pássaro vermelho que refletiam o brilho do sol deixaram de bater naquele instante amargo. Naquele momento sereno, mas soturno e desprovido da destreza que um sábio possui ao dar a notícia ruim. As penas negras que se sobrepunham às de cor do fogo aos poucos foram tornando-se grisalhas...





Quem sabe um dia eu termino esse...

7 comentários:

  1. Pois deveria terminar mesmo!
    É de uma sensibilidade incrível! E eu entendo bem desses sentimentos de fênix, é como me sinto quase todos os dias... Começos e fins o tempo inteiro, sempre na luta, mesmo cansando, mesmo desanimando, mesmo sorrindo. Termine e compartilhe! Parabéns! um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Thays, sua linda, tudo bem?
    Que texto triste, eu sempre adorei a fênix, para mim, o ato de renascer sempre significou esperança!!! Não podemos nos entregar, desistir, vale a pena sim!!!! Não sei se é de sua autoria, mas adorei o texto!!! Parabéns.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  3. Olá... tudo bem??
    Nossa que texto curto, mas bem intenso e triste... eu gostei... coisas assim me atrai profundamente... sempre fui muito fechada, agora ando mais aberta, mas isso é mais forte que eu ... e eu fico completamente vidrada em textos assim.... mas devo ressaltar que desistir não nos leva a lugar algum... a persistência sim... Xero!

    ResponderExcluir
  4. Olá Thays, gostei bastante do texto, é bem reflexivo.

    Na maioria das citações, sempre vi o animal como uma forma de renovação, uma chance de começar de novo.

    Vou aguardar, espero que você termine ;)

    Abraços
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  5. Olá Thays, que profundo, gosto muito dessa analogia da Fênix com nossas superações diárias, o que somos afinal que apenas aprendizes nessa vida sempre caindo e levantando, chorando e sorrindo, vivendo e tateando o chão como cegos à procura de achar o caminho certo?
    Termine por favor.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. Termine (assumo, quase perdi as letrinhas minúsculas do lado direito). Ficou profundo, bem estruturado, tocante. Superapoio que continue a história.

    ResponderExcluir
  7. Olá Thays!!
    Estamos todas esperando você terminar viu? Muito bacana o texto! Forte e encantador, me fez pensar sobre que tipo de alma meu corpo esconde e por quantas vezes não quis desistir de renascer por estar cansada das lutas!
    Amei o texto

    Beijokas

    ResponderExcluir

Dê-me sua opinião, ela é muito importante!!!