Adoçante

ela tem os olhos da cigana oblíqua, citada por Machado, 
 mas o que ela tem mesmo é um coração fechado.
 Os olhos são a porta de sua alma, pena que ela não tem uma, 
pois há muito foi levada. 
Seus olhos negros escondem muita dor,  
mas o que ela quer mesmo é dar e receber amor.

através de seu sorriso ela esconde muita coisa
mas o que poucos sabem é que ela não tem escolha
quem a vê sempre feliz
mal sabe que a felicidade não a quis
mesmo depois de implorar, suplicar
a alegria a deixou, abandonou, deixou-a se matar

mas continuou viva, continuou respirando
pelos outros
continuou amando

se amava a vida ou a sorte de estar ali
não sabemos dizer
nem ela
nem você

ela possuía os olhos de ressaca, citada por Machado,
porém, não entendia como algo podia ter acabado
sem nem mesmo ter começado
o amor que um  dia possuíra
hoje transforma-se em grande ira
mas para si guarda
dentro dela a dor cala

***

a dor cala
na calada dor
há amor
cala o amor
o amor cala
cálice, amor
no cálice h(á)mor
calice, dor
ameniza
a dor
o amor
adoça
a dor do amar
o que ama
amar
e ser amado
o amor
dói
e faz doer
adoça
a dor
que dói
no amor



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!