Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Valhala

Imagem
A destreza de suas mãos que marcam meu corpo
Eu me entrego, claro, sem esforço
Seu corpo desenhado e marcado
Não hesito em tocar
E lhe permito entrar
A respiração quase para
O sorriso marca
Suas mãos caminham
E nossos laços não findam
Em Valhala ainda nos encontraremos
e junto dos deuses beberemos
Nossa marca aqui há de ficar
como em nossos corpos
uma vez mesclados
extasiados
E assim me despeço
mas antes lhe peço
não esqueças de mim, guerreiro
a eterna valquíria você cativou
com seu machado certeiro

o coração bate morto
mas Odin há de abençoar
um reencontro na sua mesa
e quem sabe mais uma vez juntos
iremos de ficar


Blut - Parte II

Imagem
Você pode ler a parte I AQUI
***
Kira voltava para casa depois de sua aula à noite como de costume. Sozinho. Atravessou um dos becos que dava acesso à rua de sua casa de forma mais rápida, mas ele caminhava lentamente. Àquela hora da noite, naquele lugar era de se esperar que qualquer ser humano são se fosse obrigado a atravessar aquele beco por vezes cenário de crime, andaria bem mais depressa que os passos lentos e vagarosos de Kira.
Mas ele não tinha o que temer.
Isto é.... a única criatura que ele poderia temer era exatamente a que ele desejava encontrar.
Alessa.
Uma vampira sanguinária e cruel, mas que por alguma razão absurdamente desconhecida se afeiçoara por Kira e decidiu não mata-lo, pelo menos, não imediatamente. Quando o relógio no pulso dele marcou meia-noite, Alessa surgiu do breu que escondia o final do beco, sorridente e com a boca levemente vermelha, mas não de batom. Foi em direção a Kira que estava sorrindo também, e de braços abertos para receber sua amante.
Aless…

"The Drug in me is you"

Imagem
"you don't want me, no. Like I want you. "
***

Você se lembra de como nos conhecemos? Talvez não. Você conhece muitas pessoas. Todos os dias. E possivelmente naquele dia conheceu outras tantas. Mas eu sei exatamente como aconteceu. Como meus olhos fitaram você. De longe, te vi marcado. À medida que se aproximou de minha pessoa senti meu coração disparar, de leve, a princípio até que quando estava ao meu lado, impondo sua presença forte eu tive medo que pudesse ouvi-lo. Tente sorrir de uma forma não idiota, mas é claro que foi em vão. Por sorte, você pareceu não se importar e com sua gentileza me conduziu.
Mas esse não é um texto sobre começos. E sim finais. O nosso. Que apesar de em nossa magnitude, conexão e plenitude de diálogos, nunca tivemos uma história. Um algo. Jamais haveríamos de ter, afinal. E hoje sigo bem com relação a esse triste, porém, necessário fato. Meu ''coração'' foi curado por você, no início, confesso, mas da mesma forma você o quebr…

Plenitude

Quem diria
Eu mal sabia
que logo eu,
poderia
desejar tanto algo assim

Você sabe o que é
você possui
talvez, também quer

Aquele beijo
aquele abraço
me pegou de jeito
me deu um laço

com teu cheiro
embriagada fiquei
e de novo sua pegada sacana
desejei

(e ainda)

olhar teu sorriso à noite
sob as estrelas
diante da lua amarela
você me deitou no chão
mas  me levou até ela

o resumo da viagem
foi tua presença
e ansiosa estou
para voltar e contigo
novamente
ficar plena e serena

***

que a leveza das cartas
em ti permaneça
e que meu beijo
não esqueça
mas se por acaso
não se lembrar
será um prazer
lhe beijar

***

And if you hold me
I'll be fine
Let's take a glass
of wine
Be drunk of pleasure
let's smile
with no
measure

Rio

Prefiro me afogar na rasura de teu mar, aberto
mas que meu barco não consegue passar
Não remo,
Nado
De braços abertos pra te encontrar
Mas você está mergulhando
nas profundezas do meu rio
Condecorado de Rio de Mágoas
E prefiro ter meu último suspiro
Em baixo do rio
que morre no (seu) mar
Meu mar, esse meu eterno amar