Rio

Prefiro me afogar na rasura de teu mar, aberto
mas que meu barco não consegue passar
Não remo,
Nado
De braços abertos pra te encontrar
Mas você está mergulhando
nas profundezas do meu rio
Condecorado de Rio de Mágoas
E prefiro ter meu último suspiro
Em baixo do rio
que morre no (seu) mar
Meu mar, esse meu eterno amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!