13 de dezembro de 2017

Fairytale


Aconchego-me em teu abraço quente
encaixo-me dentro de seus braços
perfeitamente

embriago-me em teu sorriso doce
bebo de tua risada como se álcool
fosse

perco-me no brilho de teu olhar sereno
desvendo o labirinto de seu corpo
ameno

***

Não há súmula de vocábulos suficientes para descrever a sensação
que meu corpo exala, e minha boca procura, e meu espírito canta
diante da imensidão que o universo oferece em descrição
não encontro palavras que seriam capazes de traduzir tal tradução
é como se minhas mãos buscassem, e minha alma quisesse a sua
somos dois espíritos revoltos, perdidos diante da escuridão nua


Urdo um caminho para te caminhar em mim
e você anda com graça, jamais encontra fim

[adormeço ouvindo sua voz e caio na profunda escuridão
não abro os olhos, sonho.]

E quando acordo não era mais devaneio
você dormia ao meu lado, lindo e sem receio
Como as cordas do violão que tilintavam solene
você era o sonho mais incrível e perene

Eu vi.
Eu sorri.
Mais eu quis.
E assim o Universo disse...
Tereis.



Será?









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Pianista (e a ) Sereia - Parte I

O relógio batia quase meia-noite e as ruas de Wuppertal, na Alemanha já estavam iluminadas pelos postes de luz. Os habitantes em suas casas...