25 de dezembro de 2017

Thor

eu clamo por sua presença, no momento que sua ausência, se faz presente
eu enxergo o vento que beija seu cabelo louro 
eu escuto a cor do céu que à noite reluz no rio o seu rosto (por mim) clemente

" grito em silêncio as borboletas do meu estômago"

posso ter perdido grande(s) amor(es) e tantos outros não horrores
mas encontrei na sua magnífica pessoa
tudo aquilo que escondi nas notas jamais tocadas, os mais diversos clamores

alguém permita-me salvar-me deste assombroso destino
o que acontece, meu deus Odin
eu sinto algo que até então não fazia mais sentido 

Beija-me Thor e Senhor
Aceitas minha dor?
És capaz de sentir amor?

Não lhe peço que fique para sempre
Mas se quiser encontraremos
um lugar para bebermos
a paz que o sentir
é capaz
de transmitir.

ônix.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Joy

faço um exorcismo todos os dias (...) respiro e encaro meus demônios eles me sorriem como a morte e então, vez ou outra me en...