Drinks

tá vendo esse sorriso que você coloca no rosto involutariamente?
quando olha pra mim
ah! eu me entrego, de todas as formas, sem hesitar, fielmente"

Tá vendo essa cantada barata que me faz
eu não resito
é tudo o que preciso, é uma das coisas que me satisfaz

***

você fuma seu cigarro
você bebe sua cerveja
você desgusta sua cachaça
e eu só que quero que me veja

e você vê
você quer, até então
e eu me entrego
com toda emoção

e aquele álcool que compramos juntos absolutos
percorro teu corpo com minhas mãos quebradas
me permito lhe sentir com meus modos corruptos

seus lábios marcados
seu rosto jamais trincado
seu corpo desenhado
seu espírito por deus banhado

sua voz pelos anjos abençoada
sua personalidade por Ele amansada
sua estima por todos anseada
eu te quero pela eternidade banhada

seus cachos, seu cabelo
sua vida, meu receio
seu toque, meu calafrio
sua sentença, meu maior desafio

[você: minha droga, minha melhor heroína 
cansada jamais dessa carisma]

eu poderita fitar seu sorriso o dia todo
e durante à noite velar teu sono 
eu poderia tocar-te todo
e depois mais um pouco

os cuidados que a mim mesma nego
a ti profetizo e ao permito o "imediatismo cego"
as mais belas palavras que um dia fui capaz de escrever
a sua pessoa por fim tinha como objetivo ter


as rimas são fracas
mas não o sentimento
se ele existe
me dê seu consentimento

eu gostaria de escrever, agora, eternamente
mas por enquanto basta
por favor
me mantenha em sua majestosa
mente, e sente







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fade Away

O último poema de amor

Blut - Parte II