26 de março de 2018

Quando coloco em pauta o demônio que sou


Quando coloco em pauta o demônio que sou
compreendo todas as razões 
pelas quais você me deixou

Nunca entendi o que talvez teria visto em mim
agora sei que você nunca viu nada
o que enxergou foi um meio para seu fim

E nem foi como Maquiavel
foi muito mais cruel
você forjou meu banho em fel

Quando coloco em pauta o demônio que sou
eu entendo todos os sonhos que abandonou
ao meu lado todas as juras que me jurou

Deteriorada estou e assim sempre serei
O medo toma conta e não sei para onde irei
ansiosa pelo seu sorriso, mas sei que não terei

Como pode um ser tão pequeno sentir tanto?
Como pode um ser tão belo me matar e deixar em pranto?
Como pode um demônio amar aquilo que deus fez com encanto?

Tento todos os dias ao me levantar
aceitar minha sina de jamais me amar
ser amada e querida, jamais passível de tentar

falho miseravelmente quando encontro-me de frente
ao espelho trincado pelo brilho manchado
de meus olhos cansados e de meu sorriso marcado

pela dor de esconder a agonia que é viver
em vão, sem razão, sem um bom coração
pois o que havia de bom você levou
e me deixou
à mercê da sorte
mas esqueceu que só conheço
a morte

tento nos livros encontrar consolo
e então encontro na garrafa um gosto absorto
forço a entrada para que minha mente encontre a saída
e quando acordo desse estado entendo que jamais fui querida

e então, em vão, tento retornar ao meu estado letárgico
falho
fecho os olhos e me encontro com seu sorriso mágico

abro os olhos e você não está ao meu lado
Quando coloco em pauta o demônio que sou
sei porque me deixou e porque já estava acabado
eu nunca haveria de ser o suficiente para um Anjo 
que por mim passou

não diante de tantas maravilhosas opções
o ego escolhe o que lhe convém
mas esquece que ele já havia dito um amém
e então me isolo em meu quarto escuro
choro sem som
grito em silêncio
a lágrimas não escorre
mas a angústia
ela surge e me consome

"Sua dor se foi, suas mãos estão desamarradas"

e eu me pergunto, de que me valem tais versos?
são tão inúteis quanto meus futuros incertos
como minha vida desprovida de validade
como minha mente sem sanidade
e agora entendo por quê me pediu para ficar
quando você já tinha sua data marcada para acabar









Leia Mais ►

23 de março de 2018

Pois

As mais perfumadas rosas se curvam quando você passa, pois elas sabem que teu cheiro é divino.
A Lua, solitária mesmo ao lado do Sol  deseja ter um corpo para aproximar-se do seu, pois ela sabe que mais bonito não há.
E o Sol, mesmo com toda magnitute e potência faz referência a você, pois ele sabe que nem todos os raiosdele são suficientes para abrandar o seu brilho.
Os pássaros ao te ouvirem falar ficam calados para te ouvir e em seguida tentam imitar sua linda voz, mas desistem logo, pois sabem que tal feito é impossível.
Nem toda a suavidade do pêssego seria o bastante a se comparar com a leveza de sua pele
As mais belas paisagens, se curvam diante de sua beleza
E suas qualidades se extendem à sua personalidade
que nem o mais bondoso dentre os homens são capazes de apaziguar

(***)

E eu, permaneço na escuridão mesmo na presença do Sol, permaneço em silêncio mesmo ao lado dos pássaros, nada sinto rodeada das rosas e nada vejo ou toco mesmo com a Lua a refletir no meu rio de lágrimas.




Essa escrevi há anos, mas lhe entrego hoje como se esse texto já lhe tivesse como destinatário no passado, pois o futuro já sabia que nos encontraríamos. 

18.11.14
Leia Mais ►

13 de março de 2018

Despir

Despe-me com teu beijo
E me veste com teu cheiro
beija-me a boca sedenta
e com teu prazer me alimenta

me joga na cama e vem  por cima
eu lhe permito uma investida
segura meu cabelo com força
pode ser forte, não sou feita de louça

(...)
Leia Mais ►

Evoluir dói

não sei ao certo como começar esse texto. espero que um dia acorde como eu. é doloroso, parece que seus olhos vão se afogar nas próprias lá...