27 de junho de 2018

Sua

A máquina seguia marcando
traçava um caminho
e no final, sozinho
o símbolo surgiu
marquei na sua alma um afeto
e você marcou em mim um amor incerto
mas transferiu para a pele com tinta
a mensagem da sua boca
jamais lida, jamais dita

***

E você sua
na minha cama
estou na sua maca
nua
e durante o prazer
queria ser sua
geme e se contrai
me beija e sai
em cima estou
seus braços atadados
e você continua com a força que restou
amarrados à paixão
e sua
e meu
é impossível dizer não


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale comigo, estranho!

Evoluir dói

não sei ao certo como começar esse texto. espero que um dia acorde como eu. é doloroso, parece que seus olhos vão se afogar nas próprias lá...